Dificuldades e entraves dos empreendedores no momento da expansão para o estrangeiro

A janela de oportunidade para empresas baseadas em tecnologia, normalmente as start-ups que tentam entrar em mercados globais é muitas vezes muito pequena e exige entrar em vários mercados simultaneamente. O acesso a recursos financeiros e competências detalhadas sobre os mercados identificados tornam-se por isso condições essenciais para que o crescimento pretendido venha a ser uma realidade.

Fazer uma empresa crescer para o mercado externo requer habilidades especiais ao nível da gestão que normalmente não se encontram ao dispor dos jovens empreendedores que sobreviveram ao “trauma” da criação das suas empresas. Nesta fase estão tão focados em fazer com que as suas decisões corram bem que nem sobra tempo para olhar o horizonte em busca de informações sobre o ambiente de negócios a nível internacional e sobre os requisitos que se tornam essenciais à entrada nesses mercados.

Desta forma, as dificuldades acabam por advir do facto de não se ter feito previamente o trabalho de casa, ou seja, assim como o plano de negócios figura como um factor crucial para a criação da empresa, o plano de internacionalização também se afigura vital para a sua expansão. Este plano deve prever uma estratégia geral da internacionalização, as tácticas específicas que serão utilizadas para executar a estratégia e os recursos necessários para desenvolver o plano, em particular os montantes necessários para realizar os investimentos exigidos e o fundo de maneio apropriado para suportar o negócio.

 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt