Empreendedorismo e a Inteligência Emocional

 

Novo artigo de Emanuel Leite que apesar de publicar agora do Brasil, publicou já artigos na newsletter do grupo Gesbanha enquanto se encontrava em Portugal a realizar um Pós-Doutoramento em Inovação e Empreendedorismo pela Universidade de Aveiro. Actualmente é Adjunto das Universidades de Pernambuco e Católica de Pernambuco. É ainda autor dos livros "O Fenômeno do Empreendedorismo Criando Riquezas" (Prêmio Belmiro Siqueira 2001) e "Empreendedorismo, Inovação de Empresas e a Lei de Inovação".

« […] Há, então, algum elemento comum a todos os empreendedores que sirva de porto seguro para quem está à procura de uma metodologia de formação de empreendedores? Um alto grau de inteligência emocional é o que nos ensina a inteligência emocional.

As pessoas nascem empreendedoras ou desenvolvem essa qualidade com suas experiências de vida? Ambas as alternativas estão corretas.Acreditamos que há componente genético no fenômeno do empreendedorismo, mas também aumenta quando os indivíduos participam de programas de desenvolvimento de seu espírito empreendedor.

Para isso, esses candidatos a empreendedores devem ser estimulados a abandonar hábitos antigos e estabelecer novos, o que leva tempo e exigem muitas vezes uma abordagem individualizada. De modo geral, é preciso motivar o empreendedor para aprender a mudar e se acostumar a ter feedback das outras pessoas»

Artigo completo no blog do autor.

 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt