E-commarketing Show 2011

 

 

O E-commarketing Show desperta o interesse dos mídia portugueses, vide a minha entrevista concedida ao Jornalista Marc Barros do Semanário Vida Económica a propósito da parceria estabelecida entre a Gesventure e o E-commarketing Show:

 

 

– Qual a relevância da participação da Gesventure neste evento?

O e-commarketing Show é uma exposição profissional de comércio electrónico e publicidade interactiva que irá decorrer pela segunda vez em Portugal, a primeira recorde-se foi em Outubro do ano passado.

Nesta exposição são esperados 4.500 visitantes e cerca de 40 expositores de diversos sectores.

Este evento reúne empresas de sectores como tecnologias e serviços de e-commerce, marketing digital, logística e transporte, formas de pagamento, CRM (Customer Relationship Management) e cloud computing, entre outros, estando também previsto um programa de conferências que irá reunir um conjunto de especialistas para debater temas pertinentes para o sector e analisar casos de sucesso.

Neste sentido, e dado o forte crescimento que os negócios online têm vindo a verificar em Portugal e um pouco por todo o Mundo, existe também uma forte apetência pelos investidores neste sector, o que faz com que a Gesventure seja associada nesta iniciativa tentando promover o contacto entre empreendedores inovadores, em busca de capital, e investidores privados interessados em encontrar oportunidades sólidas de investimento em negócios online.

Todos sabemos que a comunidade de Business Angels está em franco crescimento em Portugal, e somos hoje um País que é um exemplo mundial no desenho de políticas públicas de incentivo a este tipo de financiamento, como o demonstra o Fundo de Co-Investimento no montante de   42M Euros que se encontra disponível, através de 54 empresas veículo que 200 Business Angels criaram no inicio deste ano, para investirem em empresas de elevado potencial de crescimento, que possuam no máximo  3 anos de actividade.

Se adicionarmos a este Fundo os cerca de 56M Euros que se encontram disponíveis em fundos de capital de risco early stage, recentemente criados no âmbito do Programa Compete, bem como, a apetência em mercados mais maduros por negócios web 2.0 e 3.0, podemos estar de facto perante uma grande oportunidade real para todos os empreendedores que consigam apresentar projectos nestas áreas.

– Que balanço pode fazer da edição do ano passado em termos de projectos apoiados e investimentos já efectuados?

Para primeira iniciativa superou de facto as nossas expectativas, não só em termos de quantidade de projectos submetidos à Gesventure para selecção, como também em termos da sua qualidade.

No total foram-nos submetidos para apreciação 15 projectos, dos quais 6 foram apresentados no decorrer do citado Evento a um leque de investidores pré-seleccionados.

As intervenções por projecto duraram cerca de 15 minutos, e foram uma oportunidade única para os empreendedores partilharem os seus sonhos com os investidores presentes.

Destes 6 projectos apresentados, 3 mereceram uma análise mais detalhada por parte de um investidor institucional e de uma Corporate Venture ligado a um Grupo empresarial ligado às áreas das Tecnologias.

De referir que embora os citados projectos tivessem um nicho de mercado bem identificado e uma equipe de gestao profissional os investidores decidiram ainda ser cedo para concretizar o seu interesse numa participação societária até que existam perspectivas comerciais mais sustentáveis e que demonstrem que as respectivas propostas de valor são susceptíveis a que os potenciais clientes adoptem as tecnologias que os empreendedores desenvolveram.  

– Quais os sectores e tipologias de empresas mais apoiados?

Neste evento particular o foco são as empresas do sector das tecnologias e serviços de e-commerce, marketing digital, logística e transporte, formas de pagamento, CRM (Customer Relationship Management) e cloud computing

– Que expectativas tem para esta edição?

Creio que existem todas as condições para que a edição deste ano consiga superar a do ano transacto, não só em termos de projectos submetidos para selecção e apresentados no evento, como dos próprios investidores presentes.

O objectivo será conseguir fechar através deste Evento uma ou duas operações de financiamento, quer por investidores institucionais, quer por Business Angels.


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt