“Houve um tempo em que o Twitter era português. Chamava-se Jarbas”

Isto só prova o potencial criativo nacional e como é importante acertar no timming para lançar novos conceitos:

 

« Em 2003, um microblogue com limite de 160 caracteres revelou-se uma inovação tecnológica antes do tempo. O limite era de 160 caracteres e a tecnologia assentava no telemóvel. Cada pessoa podia criar um canal próprio, escrever sobre o que lhe apetecesse e difundir a informação para todos os seguidores que subscrevessem o serviço. Reconhece esta tecnologia? Não é o Twitter, é o Jarbas. Foi criado em Portugal em 2003, muito antes de Biz Stone e Evan Williams sequer sonharem em ter a rede social mais popular do momento.

[…]

Quando o Twitter apareceu, em 2007, o criador não conseguiu ignorar a semelhança em relação ao serviço que tinha desenvolvido. Mário, que na altura tinha 41 anos, defende que "Portugal é avesso à inovação" e que as políticas de incentivo não passam de "tretas". A verdade é que há vários exemplos como este em Portugal: tecnologias inventadas antes do tempo e que falharam, para serem sucessos internacionais de outras empresas. E mesmo quando são bem-sucedidas, como o cartão pré-pago inventado pela Portugal Telecom em 1995, não se lembraram de patentear o invento. Lá fora, ignora-se que a invenção é portuguesa.»

 

   artigo completo in iOnline, 14/10/09


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt