TCF Food Edition

TCF Food Edition: Rumo à recuperação e dinamização do Turismo Português!

As consequências (sanitárias, económicas, sociais e emocionais) da atual pandemia encontram-se à vista de todos, nomeadamente nos sectores de hotelaria, alojamento e restauração.

Desde março de 2020, 56% dos Associados da AHRESP registaram perdas superiores a 60% e, em concreto, cerca de 50% dos restaurantes em Portugal já levaram a cabo despedimentos.

Trata-se de um contexto bastante complexo, ainda para quando a indústria do Turismo representava cerca de 17% do PIB nacional, 19% do emprego e 20% das exportações totais.

Estes dados evidenciam um impacto direto da pandemia, mas a verdade é que estudos recentes demonstram, igualmente, que as legítimas atitudes, comportamentos e expetativas das famílias portuguesas, se encontram envoltas em incerteza e negatividade – em geral os portugueses (i) estão pessimistas; (ii) preveem adiar decisões estruturantes na sua vida; e (iii) antecipam uma tendência global para a desvalorização da criação de novas iniciativas empresariais.

A título de exemplo, numa investigação direcionada para a comunidade estudantil da Universidade de Coimbra, os resultados apresentados foram absolutamente desoladores: 90% dos estudantes inquiridos revelaram o seu desânimo, admitindo inclusivamente que já equacionaram desistir dos seus cursos ou das suas vidas.

Neste enquadramento, estamos perante aquele que é, à partida, um cenário propício para os discursos derrotistas, de atirar a toalha ao chão, ou de recurso a soluções incrementais que não permitem atingir resultados mais ambiciosos e audazes.

Acredito, independentemente da atividade profissional e da situação mais ou menos favorável em que cada um dos leitores se encontre, que todos nós necessitamos de iniciativas e inspiração que nos permitam chegar um pouco mais longe, a ter sonhos mais favoráveis e a crer que conseguimos encontrar a chamada força de vontade que só existe dentro de nós.

Coragem e força de vontade serão pilares influenciadores nos setores da Restauração/ Gastronomia, através de iniciativas que fomentem a sua reativação e prosperidade.

De facto, sendo Portugal exímio e sinónimo de inovação e criatividade (Ranking Europeu de Criatividade, inclui 7 cidades portuguesas entre as mais criativas), é preciso encorajar a uma cultura mais empreendedora, incluindo hábitos de flexibilidade, de aprendizagem contínua e de aceitação da mudança como normal e como oportunidade, tanto para instituições como para indivíduos.

Merece, por isso, relevo a edição do Tourism Creative Factory – Food Edition (TCF) – lançado esta semana em Coimbra, no âmbito da Capital Europeia da Gastronomia de 2021 -, por ser um programa nacional de ideação que visa a dinamização de projetos diferenciadores, em particular no sector de gastronomia e bebidas.

Contando com o apoio do Turismo de Portugal e uma equipa de coordenação e implementação altamente qualificada e suportada numa rede de parceiros apta a proporcionar condições adequadas à colocação da proposta de valor no mercado, este programa visa contribuir para a recuperação e dinamização do sector gastronómico local, regional e nacional, mas também para a mitigação das consequências reveladas pelos estudos apresentados.

Recomendo, por isso, uma visita a (www.tourismcreativefactory.com), ao mesmo tempo que convido os empreendedores, com novos conceitos gastronómicos a preencher o formulário de inscrição, posicionando-se como atores da recuperação económica e social que tanto necessitamos!


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels"). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

Comente o Post

© 2021 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt