2008: ano do empreendedorismo

António Henriques, Presidente do IFDEP – Instituto para o Fomento e Desenvolvimento do Empreendedorismo em Portugal, publicou no Diário as Beiras uma reflexão sobre o Empreendedorismo para o ano de 2008.

 

 

"2008: ano do empreendedorismo
 
Com o aproximar dos dias para mais uma mudança de página no calendário, intensificam–se os balanços sobre o ano velho e os exercícios de reflexão sobre o novo ano.
É certo que 2008 não será um ano dourado. Muito menos o Ano do Empreendedorismo. Há um par de anos, a iniciativa foi pomposamente anunciada mas depois pouco ou nada se fez. Não havendo para já sinais óbvios que este governo esteja mais sensibilizado que os anteriores para a problemática do empreendedorismo, infelizmente não se perspectivam grandes mudanças.
Os nossos governantes têm uma visão errada ou, se preferirmos, pouco estruturada, daquilo que deveria seria uma política concertada de fomento ao empreendedorismo e à iniciativa. A promoção do empreendedorismo não pode estar limitada a apoiar a iniciativa empresarial. Esta é importante e decisiva para a nossa economia mas está a jusante. A raiz cultural do problema está a montante. Nos bancos da escola. Onde a iniciativa germina. O QREN não traz neste capítulo inovações de monta. Há semelhança dos anteriores quadros, estes instrumentos estão normalmente vocacionados para empresas, pessoas activas ou públicos desfavorecidos. Havendo alguma dificuldade em enquadrar o potencial de talento dos mais novos numa minoria desfavorecida, e estando as restantes duas categorias desde logo excluídas, as portas fecham–se à iniciativa júnior.
O que significa que temos dotação para torrar milhões em programas de formação apressada de adultos, em nome da competitividade de curto prazo, mas não somos capazes de ver o quão importante seria investir 0,001% desse orçamento na dinamização de programas de iniciativa, a pensar no médio e longo prazo.
Mas nem tudo é mau. Porque há vida para além do Estado, acreditamos que em 2008 o empreendedorismo terá do seu lado um número crescente de iniciativas e organizações, com significativa participação da sociedade civil. Quanto ao IFDEP, aquilo que podemos prometer é que regressaremos mais fortes do que nunca. Interventivos nas questões da política pública relacionadas com o empreendedorismo. Activos na promoção de projectos de incentivo à iniciativa. Dinâmicos no apoio aos empreendedores. Em 2008 estaremos convictamente mais insatisfeitos…"

 

in Diário as Beiras 31/12/07


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt