Já considerou obter o apoio de um business angel? Porquê?

 

 

 

Semana Nacional

de Business Angels

 

22-27/ Setembro

 

www.fnaba.org/2snba

 

Coloquei com um colega a seguinte questão numa rede social na qual participo (LinkedIn) e a qualidade e pertinência das respostas obriga-me a destacá-las no meu blog:

A poucos dias da Semana Nacional de Business Angels em Portugal, torna-se importante perceber até que ponto é que os empreendedores portugueses conhecem este tipo de investidor.Em Portugal durante o ano de 2007, segundo a Rede Europeia de BA, foram realizadas 11 operações de financiamento com business angels, representando 1,7 milhões de euros angariados. Já considerou obter o apoio de um business angel? Porquê?

 

 

 

Eis as respostas que obtive, vale a pena lê-las com atenção:

 

 

 

 

Fiz diversas tentativas para conseguir o apoio de business angel, via IAPMEI, ADN Cascais e outros programas, mas o que notamos é que o apoio esta muito ligado ao lado academico, o que e’ muito bom para o mundo academico, mas falta o lado do apoio aos "normais" empreendedores.

Esse valor de 1,7 milhoes é baixo, praticamente, conseguiremos 3 bons projectos, por exemplo em outros projectos de desenvolvimento como as Cidades e Regioes digitais foram distribuidos 300 milhoes de euros. E’ claro, que sabemos que nesse caso o valor de 1,7 milhoes vem de fundos particulares.

Outro problema, eu nunca recebi um comentario sobre porque que os meus projectos nao foram aceites, acredito que o IAPMEI não tem a energia necessaria. Os institutos como o IEFP tem projectos meu ha’ mais de 1 ano (e o regulamento sao 3 meses) e nao conseguem analisar, pois nao é uma pastelaria nem um franquia, ou seja, nao possuem capacidade para analisar os projectos (vi varios casos de pastelarias que ja foram aprovados!!!).

O investimento de empreendedores em Portugal esta’ numa fase delicada, pois o portugues esta’ cada vez menos empreendedor (onde esta o Portugues que descobriu o mundo?) e os fundos estao cada vez mais tradicionais, buscando projecto que se nao dao retorno financeiro, pelo menos deem uma diulgacao na midia.

O que fazer?

Resposta: Nao desistir, sempre que posso apresentarei meus projectos, talvez com os fundos europeus conseguimos mais recursos para financiamentos.

Marcio Salmeirao

 

 

 

Posso falar pelas áreas em que actuo, já actuei, como empreendedor: Sociais e ambientais. De uma forma geral começa a existir capacidade de risco nos investidores portugueses. Mas este conceito ainda é muito prematuro… Questões culturais, historicas e politicas. Tem, no entanto, existido um apoio crescente a projectos ditos tradicionais, tal como refere o Marcio, mas também projecto com grande risco vs probablidades de retorno num espaço curto de tempo. Infelizmente muitos dos empreendedores portugueses não estão inseridos em empresas tradicionais, nem em tecnologias de ponta. A mentalidade tem de mudar, a vontade de arriscar também… Temos largos passos a percorrer e uma necessidade de cruzar oferta com procurar muito maior.

Business Plan vale o que vale… Muito do apoio é dado é dado pelo credibilidade do empreendedor e pela consistencia da sua ideia. Mesmo aqui as diferenças são grandes. Nos Estados Unidos uma das questões chave é número de projectos falhados… Em Portugal penso que a nossa cultura não o permite. Quem não cai, não se sabe levantar… Em Portugal apoia-se, maioritariamente, os projectos já existentes e que passaram o "buraco negro" inicial. É pouco eficaz e motivador. Muitos empreendedores Portugueses continuam a emigrar. Tenho tido o previlégio de conhecer vários que trabalham em incubadoras de algumas das melhores universidades do mundo. Coincidência? Penso que não…

Os BA têm uma enorme vantagem face aos restantes processos: relação humana. Deveria-se apostar mais neste factor. Apoio financeiro associado a coaching. Acredito também que a rede de observadores (pessoas de terreno que observam os empreendedores interessantes a apoiar) deveria ser alarga, ou criada caso não exista. Quebrem-se as barreiras.

Muito e bom trabalho tem sido feito em Portugal pela FNABA. No entanto é uma longa estrada a percorrer…

Miguel Alves Martins

Quero felicitar todo o trabalho e empenho que tens vindo a realizar para o avanço dos Business Angels em Portugal que

considero notavel no qual tem sido nitido o teu desempenho.

De qualquer modo estamos anos de luz do ideal. Isto não toca so

os Business Angels mas tambem diz respeito o estado e as sociedades de capitais de risco que tambem tem o seu papel em todo este processo. Sim! tem havido evolução mas a passo de caracol. É bom que encaremos isto.

Os nossos jovens precisam de ser apoiados e acompanhados por empresarios experientes para que haja uma transferencia de conhecimento do terreno. Este conhecimento não diz respeito somenta as boas praticas de gestão. Alerto para o caminho chamado empreendedorismo que esta cheio de espinhos e armadilhas desconhecido por a maioria dos nossos jovens.

Não é por nada que mais de 70% dos projectos não passa os primeiros tres anos de vida, em grande parte devido a falta de experiencia.

A chave do sucesso não passa so pela ideia e pelo dinheiro.

A capacidade da equipa de gestão para levar o projecto a bom porto com os meios disponiveis é do mais importante.

O valor de 1,7 milhões de euros é melhor do que nada, mas nitidamente pouco para semente. Para colher em grande ha que semear em grande. Isto é……. pouco.

Na minha opinião o modelo existente esta esgotado. Os projectos precisam de ser analisados por pessoas experientes (empresarios natos) com sentido de risco. Algum risco teremos que estar dispostos a correr caso contrario não passamos da idade da pedra.

Precisamos de verdadeiros apoios para os nossos jovens; financeiros, na area da gestão e de acompanhamento por empresarios experientes pelo menos nos primeiros tres anos.

O que se passa na pratica é que são criadas grandes espectativas para no final acabar em nada. Isto pode ser concluido facilmente nas respostas deixadas neste espaço.

Considero poder falar sobre este assunto porque tenho percorrido

este caminho nos ultimos 24 anos. Ja ganhei meia duzia de premios, e ja procurei financiamento e portanto sei do que falo.



Fica a promessa que assim que finalizar o financiamento do meu novo projecto estou disponivel para ajudar outros a chegar a bom porto.

Gostava de terminar com uma frase deixada por um homem sabio que era o meu avo;

Dos pais os filhos, os netos a experança, com esta certeza querida a vida não cansa.

José Carlos Graça

 

 

Caro Francisco e Caro Luis,

nao tinha de facto ideia dos valores que apresentam. Num projecto específico proporcionamos a ligação entre projectos com algum potencial e associações de apoio – JCI, fundação da Juventude entre outros. Sao projectos que se revelaram alguns de enorme potencial para o desenvolvimento regional (principal objectivo) que apenas necessitam de condições de arranque. Situação perfeita para o enquadramento de Business Angels.

Por outro lado, da experiencia recolho indicações sobre o desconhecimento deste jovens (futuros empreendedores) acerca do que são Business Angels…

Fica o meu feedback,

abraço e sucesso para a Semana

Coloque-nos por favor a par das principais conclusões,

Nuno Rosa

 

 

Caro Francisco,

Continua com a tua "missão"!

Desejo-te os maiores sucessos. 

João Pargana

 

 

 

Tenho uma ideia muito vaga e pouco precisa qo que é um business angel.Este desconhecimento ódviamente prejudica o recurso a algo de que não conhecemos nem finaliades,nem vantagem,nem riscos.

Fernando Trigo

 

 

 

 

A questão é pertinente, confesso que tive um único contacto no passado onde apresentámos o projecto em traços gerais, um primeiro contacto… contudo foi curioso, a dado momento na apresentação do projecto notámos um entusiasmo incrivel por parte do receptor da nossa mensagem e existiu 2 frases que não me sairam da cabeça…

"Vocês, estão cansados de trabalhar por conta de outrém" e a mais famosa "Estão cansados de dar pérolas a porcos"… e fez-se luz, pensámos, para quê um business angel? Estamos a dar pérolas a porcos e vamos trabalhar e não vamos trabalhar por conta própria, está visto!

Tenho a noção que foi um contacto, com elevadas capacidades de investimento, mas para nós o mais curioso é que nos ensinou outra perspectiva.

Posteriormente por motivos de saúde, o projecto foi adiado… mas não deixa de ser uma aprendizagem curiosa e fortissíma. 

Luis Lopes 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

Um comentário a “Já considerou obter o apoio de um business angel? Porquê?”

  1. Anonimo says:

    Olá, boa tarde.

    Pretendo comentar sobre o que foi dito por José Carlos Graça:
    “Os nossos jovens precisam de ser apoiados e acompanhados por empresarios experientes para que haja uma transferencia de conhecimento do terreno.”

    No Reino Unido, pelo menos, há programas de mentorização, em que pessoas experientes dão conselhos a jovens, quanto às suas carreiras, etc.
    Pelo que tenho me apercebido no seu blog e nas pessoas com quem se associa, que seriam indicados para tal desafio.
    Eu falo como jovem mt interessado em receber conselhos sobre carreira, ambientes económicos, etc.

    Imagino que esteja, ou um dos seus colegas/amigos de criar um programa do género.

    Cumprimentos.

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt