Gala do Empreededor – discurso de Arnaldo Machado

Ainda sobre a Gala do Empreendedor do passado dia 9 em Ponta Delgada, aproveito para partilhar uma foto do evento bem como a intervenção proferida pelo Dr. Arnaldo Machado,  Director Regional de Apoio ao Investimento e à Competitividade.

"O desenvolvimento de uma sociedade com espírito empreendedor, logo com capacidade de iniciativa, revela-se um factor central que todos os países procuram alcançar.

 

Com efeito, os benefícios económicos e sociais que advêm de uma sociedade dinâmica e criativa são consideráveis e, diria mesmo, cruciais, pela capacidade de criação de emprego e de riqueza que proporciona.

Por outro lado, é também de salientar o contributo altamente positivo que os indivíduos empreendedores obtêm no respeitante a aspectos de ordem pessoal, como os do crescimento pessoal e de satisfação profissional, que se estende, pela forma apaixonada com que vivem as suas iniciativas, aos seus colaboradores. Este aspecto, não é de somenos importância quando estudos recentes demonstram que os portugueses são os europeus menos satisfeitos com a vida em geral e com o trabalho em especial.

É também conhecida a ligação do empreendedorismo à inovação. De facto, um empreendedor é, por definição, alguém que está permanentemente insatisfeito, que procura sempre novas formas de fazer as coisas, seja nas práticas de gestão, seja nos produtos que comercializa, seja na forma como satisfaz os seus clientes. Em suma, no modo como actua no mercado. A inovação é, porventura, o principal factor de sucesso nos tempos que correm. O seu contributo para o desenvolvimento de uma economia e para a competitividade das empresas é inegável. Aventuramo-nos mesmo a dizer que quem não inovar, quem não tiver interiorizado comportamentos de abertura à mudança e àquilo que são as verdadeiras necessidades do mercado que serve, arrisca-se a ficar sem mercado.

Deixem-me também dizer-vos que isto é válido tanto para quem toma a iniciativa de levar um negócio por diante, como para quem coloca o seu conhecimento e esforço por conta da mesma enquanto colaborador. Ter capacidade criativa, procurar a inovação, assumir o risco e ter espírito empreendedor, são factores comuns a todos os agentes económicos, e tudo isto define o empreendedorismo.

Não admira, assim, que todos os intervenientes em políticas de desenvolvimento económico procurem definir estratégias e conceber medidas que estimulem e favoreçam um ambiente propício à iniciativa empresarial baseada no espírito empreendedor.

O Governo dos Açores tem, desde 2006, desenvolvido um conjunto de iniciativas com que pretende, de forma sistemática e cada vez mais interventora e alargada a novos parceiros, criar um ambiente favorável ao empreendedorismo.

Neste sentido, promoveu-se em 2006 e pela primeira vez, o Concurso Regional de Empreendedorismo, a que concorreram 13 candidaturas e que culminou com a primeira edição da Gala do Empreendedor. Em 2007, seguiu-se nova edição do Concurso Regional de Empreendedorismo, a que concorreram 20 candidaturas, tendo ainda sido realizado um Workshop sobre empreendedorismo, o primeiro Salão de Empreendedorismo e o lançamento do Manual do Empreendedor. Além disso, ao longo destes anos têm sido efectuadas diversas apresentações junto de escolas profissionais, no âmbito do projecto “O Empreendedorismo vai à Escola”, bem como em diversos cursos sobre empreendedorismo realizados pelo Centro de Empreendedorismo da Universidade dos Açores e pela Norma Açores, relativas à divulgação e ao estímulo do empreendedorismo.

Este é um processo que se pretende dinâmico, estando em preparação o lançamento de novas iniciativas, e para o qual se torna necessário o envolvimento de toda a sociedade. Permitam-me que destaque em especial o sistema educativo. Aliás, se o objectivo desta Gala é o de publicamente distinguir os jovens que se candidataram à edição de 2008 do Concurso Regional de Empreendedorismo, não poderia deixar, nesta ocasião, de agradecer aos representantes das diversas escolas presentes, bem como aos seus professores e alunos. A vossa presença é para nós um estímulo acrescido para o longo caminho que ainda temos de percorrer. Através de vós, certamente que a mensagem de que o espírito empreendedor é a resposta aos desafios que se nos apresentam chegará mais longe e a mais destinatários.

Ainda no respeitante ao sistema educativo, todos temos consciência de que ao mesmo é pedido que forme pessoas, na sua plenitude e no processo de socialização por que todos passamos, como se fosse o único agente a quem compete fazê-lo. É efectivamente pedir muito. Mas é um facto de que é também a estrutura melhor preparada para o fazer e que tem, nesse processo, um papel fundamental e decisivo. O empreendedorismo, mais do que algo que se aprende através de disciplinas específicas, embora também necessário, é sobretudo uma maneira de estar. Corresponde a um conjunto de atitudes que se apreendem ao longo do nosso crescimento individual e no nosso relacionamento com os outros. A escola é, portanto, o palco privilegiado para a interiorização do espírito empreendedor. É por isso que pretendemos aprofundar o nosso relacionamento com o sistema educativo através de novas medidas que iremos desenvolver e implementar num futuro próximo.    

Termino esta minha intervenção, felicitando os jovens que se candidataram ao Concurso Regional de Empreendedorismo de 2008, bem como as suas famílias. Com o vosso exemplo, e também com o espírito empreendedor que, certamente, irão continuar a cultivar, esperamos que mostrem o caminho a seguir por todos nós.

Muito obrigado pela vossa atenção."

 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt