Layoff: um passaporte para o empreendedorismo?

Seria impossível ficar indiferente a uma das principais notícias dos últimos dias: o layoff de 984 trabalhadores da Rhode.

A administração da fábrica de calçado de baixo custo vai dar entrada a um processo de insolvência por, segundo afirma, não haver condições para manutenção da produção.

Os trabalhadores de Santa Maria da Feira regressam à linha de produção, munidos de incerteza e receio de ficarem desempregados. Pediram ao Estado que forjasse um comprador para a Rhode e, ao que parece, o Ministro da Economia apadrinha o plano. Os trabalhadores esperam que os dois meses de layoff permitam encontrar uma solução para o futuro da fábrica alemã.

Caso não se encontre um comprador para a Rhode, o destino mais provável destas 984 pessoas é a fileira cada vez mais longa do desemprego.

Se assim for, qual a solução? Penso que o layoff nestas situações, pode bem ser uma porta de entrada no empreendedorismo. Não me refiro a este layoff com leveza e não o desdramatizo, mas a verdade é que perante um obstáculo se encontra sempre uma oportunidade.Trata-se de pessoas com poucas qualificações, mas com uma enorme experiência de vida e vontade de trabalhar. Um micro-negócio local, eventualmente com recurso ao microcrédito (vide post de ontem), após detectadas as oportunidades regionais existentes pode ser uma solução. As competências adquiridas ao longo da vida por estes trabalhadores- costurar, cozinhar, cuidar de crianças e idosos, carpintaria, bricolage- podem ser o início do seu auto-emprego. Os laços fortes que criaram ao longo do tempo na Rhode podem ser um rede fiável de apoio numa nova fase da vida e podem até originar pequenas sociedades comerciais entre ex-colegas.

O empreendedorismo sénior tem exactamente estas características: seja “acidental” (como é o caso) ou planeado, aproveita toda a experiência biográfica, profissional e social dos empreendedores, que já têm uma longa e rica vida atrás.

 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt