Jantar APCRI “20 ANOS 20 NOMES” – 27 DE Novembro de 2009

Na passada Sexta-Feira a APCRI fez 20 anos e realizou um jantar comemorativo no qual teve a amabilidade de distinguir a FNABA como uma das 20 entidades que mais contribuiram para o desenvolvimento da actividade de Capital de Risco no nosso país.

Correspondendo à distinção, este é, pois, o momento propício para reflectirmos sobre quem fomos, ao longo dos últimos 20 anos de história do Capital de Risco nacional, quem somos e quais são as nossas metas.

A FNABA – nascida de uma iniciativa ambiciosa lançada pela Gesventure, há quase uma década, visou a criação de uma rede de business angels capaz de assumir um papel determinante no financiamento de projectos, nas suas fases iniciais de vida.

A FNABA representa hoje uma rede de 10 Associações e mais de 350 business angels associados, desempenhando um papel importante junto da comunidade empreendedora, com reflexos inegáveis no apoio a projectos, nas fases pré-seed, seed capital e start up.

Tal significa que esta iniciativa germinou, cresceu, ganhou dimensão nacional, e internacional, sendo hoje uma instituição reconhecida e integrante da EBAN – European Business Angel Association e da WBAA – World Business Angel Association, de que é membro fundador.

Mas esta realidade tem um passado interessante!

Quando, em 1994, comecei a dar os meus primeiros passos nas áreas do Empreendedorismo e do Capital de Risco, com a realização da minha tese de mestrado subordinada ao tema “O Impacto da Fiscalidade no Sector de Capital de Risco”, e assumi o papel de agente “evangelizador”, ao tentar aumentar a atenção da Sociedade para a importância do instrumento Capital de Risco, tinha a clara noção de que Portugal precisava de um novo Ecossistema Empreendedor. Ecossistema no qual as Start-Ups pudessem beneficiar de um ambiente mais favorável ao seu nascimento e crescimento.

Foi com essa clara noção que assumi o compromisso de prosseguir este objectivo, e, desde então, não mais parei nesta cruzada da qual relevo as seguintes etapas:

 

I – Fundei a Gesventure que tem sido, ao longo desta última década, o rosto de muitos Empreendedores, apoiando-os nas fases embrionárias dos seus projectos empresariais e prestigiando o seu papel junto dos operadores que actuam no mercado de “Venture Capital” nacional.

II – Através da Gesventure, muita informação tem sido produzida, ao longo dos últimos 10 anos, como forma de sensibilizar a Sociedade para a importância do instrumento Capital de Risco:

  • Livros publicados,
  • Realização de 20 conferências internacionais com carácter bianual,
  • Participação em inúmeros seminários realizados em Universidades, Pólos Tecnológicos e Escolas Secundárias,
  • Publicação, com carácter regular, de centenas de artigos publicados nos meios de comunicação social,
  • Elaboração de indicadores estatísticos, com periodicidade semestral, como forma de aumentar os índices de transparência deste sector, divulgar a actividade em Portugal e noutros países

III – Também, através da Gesventure, se desencadeou o processo de criação de redes de business angels, como mecanismo, por excelência, de apoio ao ecossistema empreendedor e à criação de um futuro sustentável para as microempresas portuguesas.

IV – Mais recentemente, com a constituição da FNABA, em 2007, importantes iniciativas foram desenvolvidas tendo, especialmente, em vista:

(i) Contribuir para a aplicação no enquadramento jurídico e fiscal das melhores práticas internacionais, constantes de um documento entregue à CMVM, no âmbito da discussão pública de uma proposta favorável à introdução, no ordenamento jurídico português, da figura dos Investidores em Capital de Risco e da atribuição, aos mesmos, de incentivos fiscais;

(ii) Promover a realização anual da Semana Nacional dos Business Angels, ao longo de cinco Distritos, de Norte a Sul do país, e do Arquipélago da Madeira, a par de inúmeras acções de sensibilização e “road shows”, como forma de atribuir maior expressividade à comunidade de BA nacional;

(iii) Dotar os Business Angels de instrumentos financeiros que potenciem efectivamente os seus investimentos, sendo disso um bom exemplo o recente contributo da FNABA para a criação do Fundo de Co-Investimento com Business Angel, quer na fase de concepção, quer na fase de congregação de esforços e de vontades das suas Associações federadas, tendo em vista tornar os Business Angels mais activos no investimento em projectos, em fase seed e start-up, através de uma interessante partilha de risco proporcionada por este novo instrumento.

Feita esta breve referência ao passado, é com os olhos postos no futuro que continuarei, no âmbito das múltiplas funções de interesse social que exerço – nomeadamente como Presidente da FNABA – a dar os passos, no dia-a-dia, fazendo o que deve ser feito, ao nível do fortalecimento e incentivo da nossa comunidade de Empreendedores e do desenvolvimento da actividade dos Business Angels, com a perfeita consciência de que, cada novo degrau que se vai subindo,  nos levará ao patamar de exigência e de relevância que se espera dos business angels, em Portugal, em moldes idênticos aos já consagrados noutros países.

Seja na qualidade – que muitos insistem em reconhecer-me – de “evangelizador” do Empreendedorismo e do Capital de Risco nacional, seja na qualidade de Professor dedicado ao ensino destes temas, seja na qualidade de Presidente da Federação representativa das Associações Nacionais de Business Angels, ou em qualquer outra qualidade, será sempre, com a máxima vontade e determinação, que continuarei – seguramente, durante mais vinte anos – a dar o meu melhor contributo para mobilizar o sector de capital de risco nacional, em favor dos novos modelos de negócio assentes no conhecimento intensivo, atentas as oportunidades que este tipo de investimento poderá traduzir, em termos de criação de riqueza no País que é de todos nós.

Assim o fiz no passado e assim o farei no futuro.

A finalizar, reafirmando o meu empenhamento à causa do Empreendedorismo e do Capital de Risco nacional, em meu nome pessoal, dos restantes membros da Direcção a que presido e de todas as Associações que constituem a FNABA,  reitero os agradecimentos à  APCRI, pela honrosa distinção que se dignou atribuir à FNABA, na comemoração dos seus vinte anos de existência.

 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt