Suecos querem aprender com Brasileiros a assumir riscos

 

Carl Sundberg, professor sueco de bioempreendedorismo do Instituto Karolinska, sublinhou as oportunidades apresentadas pelo Brasil no campo da pesquisa médica. “A vasta biodiversidade brasileira é um convite para a formação de empresas de base tecnológica”. Esta cooperação não pode ser apenas governo-a-governo ou universidade-a-universidade. “Temos de criar empresas conjuntas, de capital misto e que possam desenvolver patentes com as quais possamos lucrar. O desafio, na Suécia e no Brasil, é ultrapassar fronteiras académicas e empreender no campo dos negócios”, defendeu.

Thomas Arctaedius, Director da Universidade de Estocolmo, identificou complementaridade entre brasileiros e suecos, no que diz respeito ao empreendedorismo. “O talento sueco para a inovação fascina o mundo, o ensino académico na Suécia é baseado em pesquisa. Mas o Brasil está à frente da Suécia em termos de empreendedorismo. Nós, suecos, não estamos habituados a assumir riscos. Podemos aprender muito com o Brasil. Criar joint-ventures em que cada país contribui conhecimento e capacidade de empreender”.

FONTE: JB Online

 


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt