Capitais de Risco perdem 6 milhões no grupo Douro Azul

"Os investidores institucionais averbaram uma menos valia de 9 milhões face aos 15 que injectaram na sociedade em Abril de 2004, através da subscrição integral de um aumento de capital desse montante.

 

Uma operação então liderada pela Inter Risco, capital de risco do grupo BPI, que investiu no Douro Azul cerca de 4 milhões de euros. Juntamente com a sua participada Fundo Caravela, esta instituição detinha 9,83% da "holding" turística, tendo agora vendido a sua participação por 2,357 milhões. Saiu assim com uma menos-valia de 40% face ao valor de entrada"

As outras capitais de risco – todas estatais (InovCapital, AICEP Capital Global, Turismo Capital e, ainda, o fundo de Sindicação de Capital de Risco PME-IAPMEI), que detinham uma participação conjunta de 27,02% da Douro Azul, venderam as suas acções a Mário Ferreira [sócio agora detentor de 100%] por 6,481 milhões de euros face aos 11 milhões que injectaram na empresa."

in Jornal de Negócios, 23/01/09


Licenciado e Mestre em Gestão de Empresas. Presidente da Gesbanha, S.A., especialista em capital de risco e empreendedorismo, investidor particular ("business angels") e Presidente da FNABA (Federação Nacional de Associações de Business Angels). Director da EBAN e da WBAA

Share This Post

Related Articles

© 2020 Francisco Banha Blog. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Designed by Theme Junkie · Adapted by KMedia.pt